Lembranças

Hoje me peguei num desses dias em que ‘mexemos onde não devemos’, sabe? Aí comecei a pensar sobre o passado…

Todas as pessoas têm, cada uma o seu, ele é inevitável. Faz parte da vida e sem ele não há história.

Alguns dizem, em determinado estágio da vida: “Que saudade…” (cada um substitui suas reticências por algo que lhe fez, obviamente, bem!).

A saudade traz a lembrança, e traz à memória aquilo que alimenta — de alguma forma — a esperança.

Todavia, o passado pode ser, para uns, assustador. Para outros, apenas uma parte da vida que não causa nada de extraordinário. E ainda existem as pessoas que fazem questão de viver nele.

Cada um lida com seu passado da forma que acha conveniente.

Às vezes relembrar o passado não faz bem, aí é necessário deixá-lo lá, bem no fundo da ‘caixa das lembranças’ [e não procurá-lo] para que não incomode.

Mas… Ah! Pensando bem, tudo o que vivemos nos serve de experiência, creio que não há momentos descartáveis. Se floriu a alma, vai deixar saudade; se trouxe sombra à ela, tudo o que precisamos é deixar que o Sol brilhe e dissipe a escuridão.

E nos resta viver, construir história… Ser [humano].