A pretensão do saber

 

Já há alguns dias, venho refletindo no quão saboroso é o conhecer; aprender novas coisas é um dom!
No entanto, a linha entre o ser sábio e ser pretensioso é muito tênue, e, às vezes, essa linha some. É nessa fusão que mora o perigo!

tumblr_lbdoc3UiiI1qbsrseo1_500_large

Deixamos, pois, de lado a humildade e por ter noção de algumas coisas, somos levados a inferiorizar aqueles que pensamos não saber aquilo que aprendemos.

Acontece que a própria vida ensina e há muito ‘diplomado’ que não tem um pingo da sabedoria que uma pessoa ‘vivida’ tem. O diferencial não está nos anos de faculdade ou nos títulos adquiridos, está, sobretudo, na simplicidade de encarar a vida com gosto.

É claro que aprender é sensacional! É, inclusive, meu verbo favorito. Mas, não desprezo as sabedorias tidas como ‘menores’, aquelas aprendidas com os avós, com os pais, com os vizinhos, com as brincadeiras na rua, com as flores, com os pássaros, com o céu, com as nuvens, com o sol, com as cores etc.

‘Só sei que nada sei’ é uma frase clássica do filósofo grego Sócrates,e é também o que tento fixar em meu coração, até mesmo quando aprendo algo novo.

Embora tenha vivido pouco mais de duas décadas, já aprendi que a pretensão do saber torna altivo o olhar e tira-nos a ternura da descoberta. Isso porque o conhecimento, de certa forma, massageia o ego. 

Mas, em meio a tudo isso, o Amor nos lembra que somos pó e que é com humildade que devemos seguir nesta vida! 🙂

(…) com os humildes está a sabedoria. (Provérbios 11:2)

Visto isso, minha prece é para que a sabedoria das coisas não me tire a simplicidade do coração (nunca!).

20130209-011028.jpg

Anúncios

Eu sou casa!

Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos? (1 Coríntios 6:19)

Para que a casa seja um ambiente agradável de se estar, e que tenhamos prazer nela, é preciso que esteja limpa, organizada e cheirosa. Ninguém gosta de lugar sujo, com cheiro ruim e bagunçado; é desagradável! Da mesma forma acontece com o Espírito Santo de Deus, somos Sua casa. Já parou para pensar na grande responsabilidade disto? Mas, além de responsabilidade, é um verdadeiro privilégio conviver com esse Tesouro que nos consola.

Por mais que a semana seja corrida e haja muitas tarefas para realizar, sempre que há tempo “livre”, aproveito para arrumar as coisas. Ao ver objetos fora do lugar, procuro guardá-los. Quanto mais ajeitada estiver a casa, melhor, não é mesmo? No entanto, sabemos que ela nunca estará completamente perfeita, frequentemente haverá o que arrumar, reformar e/ou ajeitar.

Acredito que o Espírito Santo nos veja da mesma maneira. Ele sabe que habita em um lugar imperfeito, marcado por desobediência e rebeldia. Porém, o desejo dEle é que essa casa esteja, no mínimo, “habitável”.

Meus últimos textos foram sobre sabedoria (e/ou lições que aprendi com o livro de Provérbios, que estou lendo atualmente), e dois versículos do capítulo 24 chamaram minha atenção. Então Deus colocou esse tema no meu coração, sobre Sua casa: nosso corpo.

Com sabedoria se constrói a casa, e com discernimento se consolida. Pelo conhecimento os seus cômodos se enchem do que é precioso e agradável. (Provérbios 24:3-4)

Creio que no momento em que isso foi escrito, essa casa se referia a uma casa de verdade (como as nossas). No entanto, quando li, imaginei essa casa sendo o meu corpo. E é aplicável. É quando nos comportamos com sabedoria ao vestir, falar, agir… que construímos um lugar habitável para o Espírito Santo. Ao discernirmos o que é bom e o que é ruim, edificamos esse lugar. Através do conhecimento [de Deus], todo o nosso corpo é preenchido por coisas boas. Sendo assim, o Espírito Santo sentirá prazer habitando em nós.

É de extrema importância cuidarmos do nosso corpo! Como Paulo nos disse em 1Coríntios 6:19 (acima), não somos de nós mesmos, e sim do Senhor. Logo após ele continua dizendo: ‘Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o corpo de vocês.’ (1 Coríntios 6:20).

Vale a pena parar e pensar nisso; parar e refletir se realmente estamos cuidando bem de nós mesmos, ou seja, se a casa está organizada para que o Espírito Santo more. E, também, se estamos glorificando a Deus com o nosso corpo, ou fazendo dele algo que desagrada a Deus. Sabedoria sempre! Se preciso for, se bater dúvidas, perguntemos ao Espírito Santo se estamos Lhe agradando.

Valorizemos o Deus glorioso [maravilhoso, grande, poderoso, lindo…] que escolheu viver tão próximo, escolheu viver em nós!

  • Deixo aqui uma música que se relaciona muito com tudo isso:

Casa – PalavrAntiga

Deus preferiu essa carne, não quis os templos que eu posso construir com minhas mãos.
Me fez casa, eu sou morada; Lugar de Deus! Que não está lá fora, mas sim, mora dentro de mim. Abri a porta e Ele entrou em casa. Estou em obras. Essa morada um dia será perfeição!
Deus preferiu essa carne, não quis os templos que eu posso construir com minhas mãos, não! Me fez casa, eu sou morada; Lugar de Deus! Que não está lá fora, mas sim, mora dentro de mim. A minha janela são estes olhos que brilham, uma coisa ela mostra: quem a ilumina é o meu Amado; Mudando as coisas de lugar dentro de mim, dentro de mim…

Eu sou casa, lugar de Deus! Ele habita em mim!!!

Lá fora é frio; Lá fora é medo; É alto de monte; Deserto, vazio… Morando em mim, Tu me aqueces, me ensina a ser livre; Santo Espírito me enche de alegria! ♪

Com carinho,