A nova etapa

Tumblr_lqpompujy41r0aag6o1_500_large

Nunca gostei dessa ideia de começar algo novo bem no meio da semana. No meio do mês, então, piorou. Carrego a sensação de que coisas novas devem ser iniciadas em segundas-feiras,  nos primeiros dias de um mês qualquer, ou melhor ainda, no primeiro dia de um ano novo.

No entanto, uma nova etapa da minha vida se iniciou numa quarta-feira, num final de mês em pleno final de ano, justamente para quebrar essa minha falsa sensação. Percebo, portanto, que é possível começar (ou recomeçar) em qualquer dia, desde que haja disposição.

Há uma semana sou oficialmente uma estudante de Letras. Por causa da greve das federais no Brasil, empurraram nossas aulas para 21 de novembro. Confesso que estranhei iniciar algo tão fora dos “meus padrões de começo” assim. Mas estou gostando muito.

Tudo o que é novo me encanta, sem contar que adquirir novos conhecimentos é algo fascinante.

Já recebi vários e vários [muitos!] textos para ler. As aulas são ótimas. A turma é muito diversificada, embora sua maioria seja formada por pessoas entre 18 e 22 anos, há também pessoas mais “experientes”, pessoas já graduadas em outros cursos etc., achei isso ótimo.

Acredito que os perfis e expectativas dos estudantes são bem parecidos. No primeiro dia, quando houve apresentação, boa parte da turma disse que ama ler e escrever, que gosta de literatura, livros e afins. Quando me apresentei não foi diferente.

No segundo dia de aula fomos vítimas de trote, ou seja, brincadeira que os veteranos fazem com os calouros. E, como estes ainda “não sabem nada” caem nesses trotes facilmente. Aproveitando essa facilidade, as alunas do segundo período nos deram boas-vindas de uma forma bem descontraída.

Nos dois primeiros horários teríamos aula de Sociologia. Entrou na sala uma professora e uma aluna do segundo período que supostamente havia repetido àquela matéria. Assinamos lista de presença, e a tal professora estava se apresentando. Enquanto isso a aluna começou a respondê-la. Para tudo o que a professora falava, a moça retrucava.

Achamos aquilo muito estranho, mas não falamos nada. De repente uma grande parte das alunas do segundo período aparece na porta pedindo à professora as notas do semestre passado, pois elas ainda não sabiam se tinham sido aprovadas ou não.

Então a professora saiu de sala e disse que retornaria. Entrou uma aluna e nos desejou boas-vindas, porém, disse que o curso era difícil, que muitas pessoas estavam desistindo… Enfim, disse coisas ruins acerca do curso. É claro que, com isso, ficamos assustados; Já no segundo dia de aula ouvir palavras desencorajadoras é bem ruim.

Depois disso todos entraram na sala, inclusive a professora, e nos avisaram da brincadeira. Aproveitaram que a verdadeira professora havia faltado e fizeram disso uma oportunidade para rir um pouco dos calouros. Descobrimos que a tal professora não era nossa de fato e que estava de coadjuvante na brincadeira.

Após tudo isso, a mesma aluna que havia nos desencorajado disse que amaríamos o curso, e que o que havia falado fazia parte do trote.

Enfim, foi bem legal e nessa primeira semana já percebi que vou ler MUITO. Amo essa ideia, mas vou precisar de muita disciplina para não acumular nada. E, é claro, não abandonar o Diário e procurar atualizar sempre.

O coração do entendido adquire o conhecimento, e o ouvido dos sábios busca a sabedoria. (Provérbios 18:15)

Que Deus abençoe toda a turma, e essa nova etapa em nossas vidas!

C[oração] que agrada a Deus

Tumblr_mdyo3r5uao1rlgly6o1_1280_large

Tem misericórdia de mim, ó Deus, por teu amor; por tua grande compaixão apaga as minhas transgressões. Lava-me de toda a minha culpa e purifica-me do meu pecado.

Pois eu mesmo reconheço as minhas transgressões, e o meu pecado sempre me persegue.

Contra ti, só contra ti, pequei e fiz o que tu reprovas, de modo que justa é a tua sentença e tens razão em condenar-me. Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe.

Sei que desejas a verdade no íntimo; e no coração me ensinas a sabedoria.

Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e mais branco do que a neve serei. Faze-me ouvir de novo júbilo e alegria; e os ossos que esmagaste exultarão. Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades.

Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova dentro de mim um espírito estável. Não me expulses da tua presença, nem tires de mim o teu Santo Espírito. Devolve-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito pronto a obedecer.

(Salmos 51:1-12)

Não nego, amo o livro de Salmos. Quando não encontro minhas próprias palavras para me dirigir a Deus, recorro a esse livro e sempre encontro uma oração que cabe no meu momento. Então, simplesmente digo: “Senhor, faço do Salmo X a minha oração de hoje!”

É incrível, às vezes parece que determinados salmos foram retirados do meu coração, ou ainda, que foram escritos justamente para que eu os usasse nesses momentos em que as palavras somem.

Recentemente meditei no Salmo 51. Este foi escrito por Davi quando o profeta Natã foi repreendê-lo devido ao seu pecado (adultério com Bate-Seba). Percebi que ao escrever essas palavras, Davi colocou seu coração — com sinceridade — em cada uma delas.

Primeiro Davi clama por misericórdia (perdão concedido unicamente por bondade; graça);  pede para que o Senhor apague suas transgressões, e que o limpe/purifique do que ele havia feito.

Percebe-se que Davi não inventa desculpas, como por exemplo: “Ah, Deus, foi sem querer!”, “Mas, Deus, eu sou humano!”, “Foi só dessa vez, Deus!”, e outras. Não! Davi rasga seu coração diante de Deus, ele reconhece (declara, confessa) seu pecado.

Pois eu mesmo RECONHEÇO as minhas transgressões, e o meu pecado sempre me persegue. (v. 3)

O próprio Davi, em meio ao desabafo, diz que sabia o que o Senhor desejava (verdade em seu íntimo), com isso, fica mais uma vez perceptível que ele pecou consciente, isto é, sabia que estava fazendo coisa errada. Mas por causa das concupiscência da carne, concupiscência dos olhos e soberba da vida, ele pecou.

O que Davi mais queria naquele momento em que “a ficha caiu” era o perdão do Senhor. Por isso escreve esse Salmo.

Ele pede mais ao Senhor. Pede um coração PURO (sem mácula, incorrupto; correto; isento de culpa; completo; sincero; simples, mero). Pede que o Senhor renove dentro dele um espiríto estável, ou seja, um espírito constante, que vive para agradar ao Senhor sempre, em toda e qualquer situação.

O pecado de Davi era grave e poderia provocar terríveis consequências para sua vida (e também para o povo). Sabendo disso, ele pede a Deus para permanecer em Sua presença, e também que o Santo Espírito não lhe fosse tirado.

Davi amava a Deus. Davi amava a presença de Deus; ansiava por ela. Quando ele se deu conta do que tinha feito CONTRA o Senhor, ele se desespera. O que ele mais quer é ser LIMPO daquele mal, ele busca recomeçar. Para Davi a presença de Deus era o que mais lhe importava.

Por fim, Davi pede que o Senhor lhe devolva a ALEGRIA DA SALVAÇÃO, que tantas vezes se perde em meio às coisas terrenas. Não existe maior motivo para louvar, agradecer, engrandecer, servir, obedecer, enfim, amar a Deus do que a salvação. Então, Davi, disposto a recomeçar, pede a Deus que o sustente com um espírito pronto a obedecer.

Através dessas (e outras) atitudes é que Davi é chamado de HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS. O coração de Davi era parecido com o coração de Deus.

[Deus] levantou-lhes Davi como rei, sobre quem testemunhou: ‘Encontrei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração; ele fará tudo o que for da minha vontade’. (Atos 13:22)

Por achar isso tão lindo é que amo estudar, conhecer e aprender sobre a história desse grande homem. Ter um coração segundo o coração de Deus é fazer tudo o que é da vontade dEle. E para viver assim, é preciso ter a VERDADE no íntimo (interior e profundo), ou seja, Jesus.

Arrepender-se, clamar por misericórdia, reconhecer o erro, confessá-lo, pedir perdão e mudar de atitude; Buscar um coração puro, um espírito estável; valorizar a presença e o Espírito de Deus; resgatar a alegria da salvação; e obedecer ao Senhor. Essas foram as atitudes de Davi. Essas são as atitudes de quem quer recomeçar e/ou agradar a Deus de verdade.

Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele. Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou. (1 João 2:5-6)

Com carinho,

Uma data inesquecível

Trouxe aqui um pequeno texto que escrevi para a página Meninas de Fé.

Tumblr_m9uc3vt3hw1r3docro1_500_large

Fiquei muito feliz com o convite da Iris, que me pediu para contar um pouquinho de como foi o meu [inesquecível] encontro com Deus, então quero agradecê-la; e agradecer também a Deus.

(…)

Vou tentar resumir para não ficar um texto muito longo. Vamos lá! 🙂

Nasci em ‘berço evangélico’. Fui consagrada ao Senhor ainda bebê, então frequentei a igreja desde pequena. Cresci ouvindo a palavra de Deus.

Por volta dos meus 13 anos, porém, comecei a me afastar de Deus. No final de 2007, quando completei 15 anos, estava decidida a sair da Igreja (porque já não aguentava mais, e queria viver com meus amigos da forma que eu queria, “sem culpa”). Eu me sentia obrigada a ir à igreja e aquilo me fazia mal.

No entanto, em fevereiro de 2008 aconteceria o Acampamento (retiro espiritual) da igreja na qual congregávamos e minha mãe já havia feito nossas inscrições. Lembro-me bem de um domingo, final de 2007, em que eu disse para minha mãe: “após o acampamento, não vou mais à igreja, não me sinto bem lá.”

Minha mãe ficou chateada, mas entregou a minha vida nas mãos de Deus e silenciosamente [de forma sábia] intercedeu por mim, como sempre.

Chegou o dia da viagem.

Passamos quatro dias num sítio lindo, numa cidade próxima à minha. As pessoas alegres, empolgadas, e eu contando os minutos para voltar para casa.

No entanto, na primeira noite, no culto, Deus começou seu trabalho em minha vida. Com uma palavra abençoadíssima, o próprio Espírito Santo começou a quebrantar meu coração. A partir desse primeiro dia já tive certeza que Deus faria algo especial comigo.

E foi assim durante os quatro dias. A cada dia fui mais quebrantada por Deus.

No último dia, chorei muito diante de Deus por ter me afastado dEle, e pedi a Ele que cumprisse Sua vontade em minha vida, que eu queria viver para agradá-lo. Foi nesse dia (05/02/2008) que abri meu coração para que o Senhor começasse Sua ‘boa obra’ em mim de verdade.

E, ainda nesse dia, senti o chamado de Deus para louvá-lo através da voz (ministrando louvor), foi aí que Deus começou a me mostrar o que Ele queria para mim. Sempre gostei de cantar, mas cantar para Deus, creio eu que — além de uma paixão — é um forma linda de ser instrumento de Deus nessa terra.

Quando voltei para minha cidade, para minha rotina, abri mão de muitas coisas. Na época foi muito difícil. Mas, hoje eu tenho certeza que valeu a pena. Não me arrependo de ter dedicado esses quase cinco anos ao Senhor. E sei que ainda tem muito mais!

 ‘Uma coisa pedi ao Senhor, é o que procuro: que eu possa viver na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a bondade do Senhor e buscar sua orientação no seu templo’. (Salmos 27:4)

Que Deus nos dê sempre sabedoria para renunciarmos o que nos faz mal, o que nos atrapalha a caminhar com Ele. Sejamos fieis a Ele, pois Ele permanece sempre fiel.

12 de novembro

540814_443080552382932_914560762_n_large_large

Todo mundo foi dormir e eu ainda estou aqui.

No último post comentei sobre como a minha querida mãe enxerga os aniversários. E me baseando nisso, hoje considero meu jardim mais florido. Tenho uma linda coleção de vinte flores.

Agora é de verdade, tenho vinte anos. Estou pensando em como esse número é bonito, mas também nas responsabilidades que me esperam daqui pra frente. É, entrei na “casa dos 20”.

Essa coisa de marcar a vida com períodos de 365 dias é demais. Fato é que eu amo fazer aniversário. Amo mesmo! Mas também sei que a cada ano a vida prepara um amontoado de novas cobranças.

Todo ano, no dia 12 de novembro, meu coração se enche de gratidão. A sensação de “meu Deus, obrigada por mais um ano de vida!”, é predominante. Fico sensível também, qualquer palavra carinhosa que recebo já fico toda boba.

Aniversário é um dia todo especial, né? Incrível como que uma simples segunda-feira pode se transformar num dia extraordinário por causa da data (com isso dá para perceber que cada um guarda dentro de si a capacidade de tornar um dia ruim num dia mais agradável).

Ontem foi assim. Para a maioria das pessoas, um dia comum, para mim e para as pessoas que me amam, ontem foi um dia de alegria. Alegria por mais uma etapa cumprida em minha vida. Concluí com sucesso os dezenove, e agora inicia-se um novo tempo.

São tantas coisas já vividas até aqui, e tantas muitas coisas para viver ainda. Visando isso peço a Deus sabedoria, e sobretudo, que a vontade dEle se cumpra em minha vida. Ah! Tenho mais um desejo também:

Que eu viva de maneira digna do Senhor e em tudo possa agradá-lo, frutificando em toda boa obra, crescendo no conhecimento de Deus.
(Parafraseando Colossenses 1:10/Nova Versão Internacional).

Feliz aniversário para mim. ♥

 

A Primeira Flor

Minha mãe, sempre carinhosa com as pessoas que conhece, nunca deixa de ligar para parabenizar no dia do aniversário. Cresci ouvindo ela dizer pelo telefone “e aí, está colhendo mais uma flor?! Estou ligando para te dar os parabéns…”

Sabe, isso me marcou. Até hoje — a cada ano — me imagino colhendo uma flor, mais um ano de vida. E mais, como minha imaginação não tem limites, me imagino num jardim perfeito, com o dia ensolarado; eu com vestido camponês, chapéu, e uma cestinha na mão esquerda enquanto a mão direita colhe a bela flor.

Nesse jardim tem flores de várias cores e perfumes diferentes. Só posso dizer que é lindo!

Hoje não é o meu aniversário (o meu é dia doze), no entanto, hoje é um dia duplamente especial para mim. Primeiro porque o Diário está completando seu primeiro ano de existência (leia o primeiro post aqui). E segundo, porque hoje completo sete meses de namoro. É ou não é um dia especial?

Dias atrás estava conversando com a minha mãe e juntas estávamos fazendo uma “mini” retrospectiva de 2012. Percebemos, então, o quanto esse ano passou rápido e o quanto Deus permaneceu fiel e cuidadoso. Isso é muito bom!

O Diário me faz tão bem. Sempre que preciso desabafar, corro para montar um texto, isso faz com que eu me sinta melhor. Escrever é uma das formas mais lindas que encontrei para aprender mais com Deus. Consigo organizar melhor meus pensamentos, e assim registrar as lições que aprendo com as circunstâncias do dia a dia.

Conheci muitas pessoas legais através do blog. Tenho um carinho enorme por cada leitor, e amo os comentários de incentivo que recebo. Oro para que Deus me capacite mais e mais, para que cada pessoa que vier aqui possa sair mais abençoada.

Como eu já disse, compartilho aqui meu modo simples de enxergar as coisas.

Sou cheia de dúvidas, indecisões, incertezas, e vontade de aprender sobre Deus e sobre a vida. Não me leia como quem lê um jornal de notícias, leia-me como quem lê palavras soltas: às vezes com sentido, às vezes, não.

Agradeço de coração a cada um que me acompanha por aqui, pelo Twitter e/ou pelo Facebook. Obrigada, obrigada mesmo! Que esse seja apenas o começo, até porque [em tudo] sou aprendiz.

FELIZ PRIMEIRO ANO DO DIÁRIO PARA NÓS!

Com [muito] carinho,

2011, uma amizade, e um amor

Ela esperou por um namorado. Sério! De Janeiro a Dezembro só a ouvi falar de amor.

Eu já sabia que ela estava cansada; estava, na verdade, desesperada para namorar. Nunca entendi muito bem essa ansiedade toda, mas, convivi com isso durante aquele ano inteiro.

Eu namoro há mais tempo. Era inevitável não compartilhar com ela as novidades do meu relacionamento. Coisa de amigas. Mas eu tinha medo às vezes de magoá-la. Não sei, talvez por ela não ter as mesmas novidades para me devolver.

Acabou 2011, chegou o dia em que nos “separamos”. A vida é assim, né? Nunca sabemos onde vamos estar, ou para onde vamos no dia seguinte. Enfim, não nos veríamos mais todos os dias.

2012 trouxe as novidades que estavam reservadas nele. Confesso: em meio à todas as novidades desse ano, a saudade que senti dela estava pairando nos meus dias. Seu jeito meio louco e pessoal de ver o mundo, de alguma forma, animava meu dia.

E quando estava mal humorada? Eu tinha vontade de dar risadas, pelo menos para amenizar aquele clima cítrico, mas era impossível. Uma vez mal humorada, mal humorada para sempre!

Sabe, outro dia me peguei pensando: se ela arrumar o tão desejado namorado, como é que ele vai reagir diante desses “momentos de limão”? Eu sou acostumada, sei lidar bem com eles. Mas, e o rapaz? Talvez não tivesse paciência…

2012 chegou mesmo, e a ficha só caiu quando me vi sozinha, sem minha companhia diária.

Procuramos manter contato.

Janeiro passou; mesmo distantes eu sabia que seu maior desejo (para 2012) ainda era ter um namorado.

Então, em Março, o tão sonhado amor chegou. Olha, eu admiro sua perseverança e fé. Sinceramente, quando ela dizia que estava construindo um relacionamento (sem nem conhecer o rapaz), eu não acreditava.

Hoje, eles estão há meses juntos. Confesso que admiro — e é muito — o relacionamento dos dois. Não convivo com ela mais, mas pelo que sei, se dão super bem. Fiquei feliz!

Agora ela tem novidades para me “devolver”. Compartilhamos experiências sobre namoro e aprendemos uma com a outra. Amigas são para isso, né?

Sinto falta dos “momentos de limão”, sinto falta dos assuntos sobre o amor. Sobretudo, estou feliz. De fato feliz! Minha amiga está namorando.