Vasos de barro na olaria de Deus

Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós. (2 Coríntios 4:7)

“Olaria (oficina de oleiro ou ceramista) é um local destinado à produção de objetos que utilizam o barro ou argila como matéria prima”. Vejo a Igreja (local físico) como uma olaria onde Deus faz, quebra, refaz e molda seus vasos, que somos nós. 

Há o momento em que Ele nos faz, que é quando Ele nos atrai à sua presença e somos chamados por Ele para fazer parte do Seu povo e congregar. “… Assim como nos escolheu, nEle, antes da fundação do mundo (…); e em amor nos predestinou para Ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor da glória de sua graça, que Ele nos concedeu gratuitamente no Amado” (Efésios 1:4-6). Então com as nossas vidas, Deus faz o que lhe apraz.

“Feitos” os vasos, ou seja, após o chamado de Deus, chega o momento em que Ele quebra aqueles que precisam ser refeitos. Esse é o processo mais doloroso, porque machuca; porque toca no nosso “eu”. É a parte em que pensamos que já estávamos prontos, aí o Senhor muda aquilo que tínhamos por certo, nos mostrando que Ele ainda tem mais para fazer com as nossas vidas, e principalmente através delas.

E passado por esse sofrimento da “quebra”, Suas mãos — de amor — nos refazem. É a parte do consolo, quando o Espírito Santo nos abraça e nos aproxima mais e mais da Sua presença, para que tenhamos dependência dEle, e também para que possamos discernir Suas ações. Por isso, devemos permitir que Ele nos refaça da melhor maneira possível, conforme Sua vontade. Mesmo sem entender a princípio.

Por fim, ainda não terminados, o Senhor está/estará sempre disposto a nos moldar. Todavia quando não for possível, Ele nos quebrará novamente (sempre que necessário). Vai doer, no entanto, temos que entender que é preciso, que será bom e para o nosso bem. “Aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo; (Filipenses 1:6)”.

Prontos só estaremos quando Jesus vier nos buscar, enquanto estivermos aqui na Terra, seremos submetidos a esses processos. Pois ainda erramos, somos cheios de falhas e limitações, isto é, ainda somos HUMANOS.

Mas, glória ao Deus que não desiste desses vasos inacabados; ao Deus que sempre “coloca a mão na massa”, com GRAÇA, MISERICÓRDIA e AMOR, para que esses vasos sejam cada vez mais úteis em Suas poderosas mãos; Glória ao Deus que perdoa as falhas, os erros, os pecados. Glória ao Deus que usa esses vasos imperfeitos para a glória do tesouro que neles está guardado: o Espírito Santo de Deus.

Que sejamos firmes, constantes e excelentes na obra que é dEle, por Ele e para Ele, pois nosso trabalho no Senhor não é (e nunca será) em vão. Que tenhamos sabedoria para discernir nossos momentos, com a certeza de que todas as coisas cooperarão para nosso bem, pois somos filhos amados do Pai.
Com carinho,
Tathi

Hoje, agora!

Hoje acordei com vontade de viver!

Levantei (não muito bem), e decidi ficar em casa. Deitei mais uma vez e comecei a pensar na minha vida: “como estou?”, “o que tenho feito?”. Sentei em minha cama, mas rapidamente preferi os joelhos. Clamei ao Senhor para que, com misericórdia de mim, viesse me ouvir, para que viesse conversar comigo. E Ele nem demorou. Aliás, já estava ali me esperando (oniscientemente já sabia que eu O chamaria).

Abri meus lábios e O engrandeci pela Sua doce presença. Mas estava mesmo era com vontade de contar tudo o que estava passando no meu coração. Comecei e não parei mais. Como um texto sem vírgulas, falei, falei, falei, sem parar. Ao terminar meu desabafo, pedi que Ele pudesse falar comigo. Fiquei em silêncio.

Esperei.

Esperei…

Ele me abraçou, eu sei. Senti uma calma tão suave dentro de mim que comecei a chorar. As formas com que Deus age são misteriosas, todavia, são lindas e surpreendentes.

Abri sua palavra (com sede) e o próprio Espírito Santo me levou ao livro de Salmos (inclusive, tem me direcionado bastante a esse livro), e eu li:

Aqueles que semeiam com lágrimas, com cantos de alegria colherão. Aquele que sai chorando enquanto lança a semente, voltará com cantos de alegria, trazendo os seus feixes. (Salmos 126:5-6)

Lindo, né?

Não sei se você passa por isso, mas existem algumas interrogações no meu coração, e estas não sossegam. Medo, insegurança, ansiedade, enfim, características humanas vêm e às vezes gritam. O medo de sair do centro da vontade de Deus; A insegurança… Esta é a pior, pois sei que em Cristo estou segura, mas… Ah! A verdade é que a insegurança bate quando eu mesma tento tomar a direção da minha vida. E a ansiedade? Esta insiste em aumentar a cada dia. Contra essas dúvidas só há uma solução: Deus!

Cansada de saber disso, decidi que não quero somente “saber”. Quero VIVER essa solução. Quero poder entregar de fato (e de olhos fechados) tudo que me incomoda ao Senhor. Para que eu possa viver a paz que excede todo o entendimento humano, e para que eu descanse nEle.

E quer saber? Vou louvar ao Senhor em tudo e por tudo. Desde que me entreguei a Ele, confio que Ele cuida de mim. Eu O amo, então todas as coisas cooperam pro meu bem.

Um pouco depois, fui direcionada ao Salmo 16. Quero destacar alguns versos:

Protege-me, ó Deus, pois em ti me refugio. (v.1)

Ao Senhor declaro: “Tu és o meu Senhor; não tenho bem nenhum além de ti“. (v.2)

Senhor, tu és a minha porção e o meu cálice; és tu que garantes o meu futuro. (v.3)

Bendirei o Senhor, que me aconselha; na escura noite o meu coração me ensina! (v.4)

Sempre tenho o Senhor diante de mim. Com ele à minha direita, não serei abalado. (v.5)

Que minha experiência, de alguma forma, lhe abençoe!

Com carinho,

Tathi

Uma imagem, quatro atitudes!

Memórias!

Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento. (Eclesiastes 12:1)

Dance!

Louvai-o com o tamborim e a dança, louvai-o com instrumentos de cordas e com órgãos. (Salmos 150:4)

Música!

Cantai ao SENHOR um cântico novo, cantai ao SENHOR toda a terra. (Salmos 96:1)

Ame!

Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. (Gálatas 5:14)

Tudo que eu amo está em Ti; O que eu amo está em Ti, Jesus, meu lugar seguro! ♪

Com carinho,

Tathi


O querer e o realizar

Sabe aquela vontade imensa de comer chocolate (ou algo que você gosta muito)? O que você faz quando tem o chocolate em mãos? Se delicia, come até saciar toda sua vontade, certo? Pois é, é exatamente isso que Davi nos aconselha a fazer na presença do Senhor:

Deleita-te também no SENHOR, e Ele te concederá os desejos do teu coração. (Salmos 37:4)

Encontrei aqui na internet que deleitar significa agradar, deliciar, prazer, gosto, acariciar, afagar, amimar, aprazer, cativar, contentar, lisonjear, satisfazer, servir, simpatizar, contentar-se, recrear, regozijar, alegrar… Ou seja, significa estar plenamente satisfeito, feliz. Deleitar-se no Senhor não é diferente, é desejar Sua presença/palavra, estar feliz pelo “simples” fato de ter o Senhor morando em você, é buscar a vontade de Deus, é sentir uma vontade enorme de passar horas com o Senhor, enfim, é se sentir pleno somente em Deus e com Deus.

A segunda parte do versículo diz que ao nos deleitarmos no Senhor, Ele nos concederá os desejos dos nossos corações. Eu te pergunto: quais desejos? Esse versículo (Salmos 37:4) não sai da minha mente há dias, tenho meditado nele, pedido ao Senhor discernimento, e então percebi que esses desejos estão na própria Palavra de Deus.

Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade. (Filipenses 2:13)

Não há limites em se deleitar no Senhor, deleitando-se nEle, Ele será o desejo do seu coração. E tudo o que você desejar estará relacionado ao Senhor, pois virá dEle e Ele te concederá.

Tenho aprendido com Deus a desejar o fruto do Espírito (Gálatas 5:22,23). Nunca tinha parado para imaginar o quão importante é ter o fruto do Espírito em evidência. As virtudes vindas do Espírito nada mais são do que as virtudes de Cristo. Ser amável, alegre, pacífico, paciente, bom, manso, ter domínio próprio e fé são essenciais à vida cristã. E as pessoas reconhecerão Cristo em sua vida – muitas vezes – sem você usar palavras.

Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. (Mateus 7:20)

Que eu e você possamos nos deleitar no Senhor, e desejar a cada dia mais aquilo que o Senhor deseja para nossas vidas.

Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nEle, e o mais Ele fará. (Salmos 37:5)

Com carinho,

Tathi

Senhor, salva-me!

Foi isso que ele disse enquanto afundava: ‘Senhor, salva-me!’

Pedro, corajoso e entusiasmado, foi andar sobre as águas indo ao encontro de Jesus, porém, não acreditou (olha o paradoxo) que estava conseguindo. Logo, sua falta de fé apitou como um alarme que automaticamente o fez afundar. Quanto mais afundava, mais medo tinha. Então Pedro gritou: ‘Senhor, salva-me!’

Não podemos negar os primeiros passos confiantes que Pedro deu. Não devemos olhar somente para seu medo. Ele foi ousado, todavia, sua natureza humana não creu no sobrenatural que a natureza divina, em sua frente (Jesus), era capaz de fazer. E foi justamente essa natureza humana que o fez imergir nas águas.

É… Não é fácil lutar contra essa natureza, a tal ‘carne’. O que me consola, e deve consolar você também, é saber que em momento algum Cristo disse que seria fácil. E mais, o que Ele disse é que devemos ter bom ânimo, pois Ele venceu o mundo. Com isso, entendo que passaremos por aflições (muitas, até), assim como Pedro, haverá momentos em que nossa fé falhará e precisaremos gritar – mesmo sem forças: ‘Senhor, salva-me!’

Olha, é importante não se esquecer dos primeiros passos, aqueles dados com fé, ousadia e entusiasmo.

Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras. (Apocalipse 2:5a)

Se estamos afundando é porque precisamos nos lembrar de onde começamos a cair, nos arrepender e voltar aos passos de outrora, voltar a ter fé (intensamente). Ou seja, voltar ao primeiro amor, ao início, ao tempo em que nosso relacionamento com Deus era estreito, firme.

E quando gritarmos: ‘Senhor, salva-me!’, Ele estará com sua mão estendida, pronta para nos levantar; para nos ajudar a recomeçar.

Mas por que duvidar do Senhor? Por que duvidar dAquele que tem o controle de tudo, inclusive das nossas vidas? Não ter fé é desagradar a Deus! E essa falta de fé é que muitas vezes nos leva a afundar, pois queremos as coisas do nosso jeito, começamos a acreditar naquilo que sabemos fazer. No entanto, a verdade é que não sabemos de nada, sem o Senhor nada podemos fazer.

O que leva o ser humano a afundar são suas próprias atitudes. Mas a misericórdia, a graça e o amor do Pai são tão grandes, que sua mão estará sempre ali, estendida, esperando o grito de socorro.

Não perca tempo. Nunca é tarde para gritar: ‘Senhor, salva-me!’ e voltar para os braços do pai.

Com carinho,

20130209-011028.jpg