Meus pensamentos – parte 2/2

(Esse post é uma continuação. Leia a primeira parte aqui para entender)
E eu estava ainda de olhos fechados, escutando a chuva apenas… O barulho dela era como massagem para meus ouvidos e proporcionava aos meus pensamentos uma maior liberdade nas escolhas.
Então, meus pensamentos acordaram, mas ainda não sabiam o que fazer. Aquele Homem os estava chamando para DESCANSO e eles queriam permanecer em DÚVIDAS. Todas as vezes que foram para lá, de fato, eles ficaram em paz e tranquilos, mesmo assim não gostavam de “morar” de favor, e nem de dependência.
Demoraram mais um pouco na cama e começaram a conversar:
– O que vamos fazer? – disse um pensamento ansioso.
– Deveríamos ir para DESCANSO, eu cansei dessa cidade. – respondeu o pensamento que, de todos, era o menos desesperado.
O pensamento “líder” não hesitou em dizer:
– Vamos conversar mais sobre isso. Sabemos que DESCANSO é uma bela cidade, sabemos que ela é tranquila, no entanto precisamos conhecer esse Homem e saber porquê Ele tem interesse em nos ajudar e porquê quer nos levar para lá.
Aquele Homem já estava preparando a mesa com o café da manhã, olhou as horas e percebeu que meus pensamentos estavam atrasados. Ele estava na expectativa de que meus pensamentos resolveriam ir para DESCANSO.
– Bom dia, ainda não decidimos para onde vamos. O que decidimos é que hoje passaremos o dia com você. Queremos saber um pouco mais a seu respeito. – disse o pensamento “líder” ao Homem enquanto se ajeitava à mesa.
– Claro, será um prazer compartilhar com vocês sobre mim. Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede. Tomem o café de vocês e vamos passar o dia juntos. – disse o Homem com um sorriso largo e sincero.
Enquanto comiam e conversavam, o Homem estava arrumando os outros cômodos do apartamento, por onde Ele passava Seu perfume ficava.
Meus pensamentos terminaram e sentaram-se todos no chão da sala.
O Homem falava com muita alegria o motivo que o levara ali. Amor, carinho e cuidado eram perceptíveis nas palavras dEle, meus pensamentos estavam sendo conquistados por cada palavra.
– Eu já conheço vocês, por isso quero levá-los para DESCANSO. Confiem em mim! – disse o Homem com calma, mas querendo concluir a conversa.
Um pensamento perguntou:
– Ainda não sabemos o Seu nome, qual é?
Com um sorriso Ele respondeu:
– Jesus Cristo! O Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.
Todos eles de olhos bem arregalados olharam uns para os outros e em uníssono disseram:
– JESUS???
Jesus sorriu ao ver a fragilidade de cada um, ao perceber que eles tentavam ser independentes, mas não conseguiam. Então disse:
– Sim. A dona de vocês já me conhece, ela me chamou, pois não consegue controlar vocês sozinha. Ela não gosta que vocês fiquem em DÚVIDAS e é por isso que quero levar vocês para DESCANSO.
Meus pensamentos precisavam do carinho de Jesus e da Sua ajuda. A verdade é que eles precisavam ser moldados através das mãos dEle. Eles queriam ir para DÚVIDAS com muita frequência, e isso estava enfraquecendo minha fé.
– Vamos, vamos… Vamos para DESCANSO agora. Tenho certeza que a vontade dEle é a melhor para nós. Não vamos perder tempo! Vamos! – disseram meus pensamentos pulando de alegria.
Não pegaram suas malinhas, Jesus os disse para apenas confiarem nEle. E lá foram eles. No caminho Jesus ensinava como eles deveriam se comportar em DESCANSO.
Assim a chuva continuava, abri meus olhos e decidi me levantar… Agora que meus pensamentos estavam seguros, eu podia ficar mais tranquila. Com isso eu aprendi que desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus que trabalha para aquele que nEle espera.
Quando meus pensamentos tentam voltar para DÚVIDAS, peço ao Senhor para me ajudar, para convencê-los a ficar em DESCANSO!
“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos.” (Salmos 139:23)
20130209-011028.jpg

Meus pensamentos – parte 1/2

O dia está gelado!

Eu olho através da janela e vejo a rua completamente molhada – é um dia de chuva, estamos no final do ano.

Hoje acordei bem depois do café da manhã, então continuei na cama. “Dormir mais um pouco, ou deixar meus pensamentos livres, viajando?”

Peguei o celular para consultar as horas e vi que eu precisava me levantar. Mas, “me levantar? O que vou fazer hoje?”.

Meus pensamentos já estavam se preparando para a viagem. Eu não queria que eles fossem, mas não pude evitar. A ideia de que eles voltariam àquela cidade, àquela que eu não gosto, me deixava preocupada. Com suas malinhas prontas o destino era a cidade de DÚVIDAS, e lá eles já têm até um apartamento para que possam ficar dias e mais dias.

A cidade é cheia de pensamentos, eles andam por todas as partes. Alguns moram, outros só visitam. Os meus, ah… são daqueles que visitam com muita frequência. O apartamento deles fica na rua “Por quê?” e o nome do prédio é “Não Entendo”.

E lá foram eles…

Por fim, chegaram.

Dessa vez encontraram o apartamento limpo e estava perfumado por causa da presença de um belo Homem, ele os estava esperando.

– Oi, quem é você? O que faz aqui? – diziam meus pensamentos sem saber o porquê.

– Oi, há dias tento entrar aqui, mas sempre encontro a porta trancada. A dona de vocês já não consegue mais controlá-los, então ela me pediu ajuda. Eu quero ajudá-los, e já digo que essa cidade não é o melhor lugar para vocês.

Eles se assustaram, mas depois se acostumaram. Foram horas de conversa e aquele Homem acariciava com amor cada pensamento.

– Então, vamos para DESCANSO? Eu vou com vocês. – perguntou o Homem.

(DESCANSO é uma cidade vizinha à DÚVIDAS)

Meus pensamentos não sabiam bem se queriam ir (a verdade é que eles não queriam), pois lá não tinham lugar para ficar e sempre ficavam na dependência de alguém. Discutiram e então decidiram ficar em DÚVIDAS mesmo. Um dos pensamentos concluiu:

– Hoje vamos ficar aqui, ainda temos muito que fazer.

O Homem os olhou com tristeza e disse:

– Vocês precisam ir para lá, aqui vocês não têm paz. Vamos?

– Nós vamos depois que estiver tudo pronto por aqui. – responderam.

Ahhh! Pobres pensamentos! Fizeram a escolha errada. Estavam sofrendo; aquela cidade estava fria e cada vez mais sendo atingida pela ansiedade (doença típica de lá).

Estava bem tarde, foram dormir.

No dia seguinte, acordaram cedo para o trabalho. A refeição da manhã era pão com interrogação e café com desespero (sempre comiam isso). Comeram muito e saíram. O Homem não comeu e percebeu, pelo cheiro, que aquilo era horrível.

Enquanto meus pensamentos trabalhavam, o Homem limpou todo o apartamento e jogou toda a comida fora. Fez um bolo lindo de esperança e para colocarem no leite, Ele comprou Fé (tipo um achocolatado, porém, mais gostoso). Estava tudo pronto, limpo e perfumado.

“Diiim-dom” – a campainha soou.

Quando o Homem abriu a porta levou um susto. Meus pensamentos estavam machucados (como se tivessem apanhado de alguém). Então foram se lavar com a ajuda daquele Homem, que os ajudou com muito cuidado.

Todos se acomodaram à mesa.

Comeram, comeram, comeram e ainda sobrou. Meus pensamentos estavam maravilhados com o alimento; ficaram mais fortes e foram dormir (sabendo que no dia seguinte poderiam ou apanhar mais, ou irem para DESCANSO).

E eu estava ainda de olhos fechados, escutando a chuva apenas…

(Continua no próximo POST… rsrs)

Com carinho,

20130209-011028.jpg

Passo a passo na espera…

Estou aqui mais uma vez registrando um pouco do que tenho conversado com Deus e do que Ele tem me falado/ensinado. Há dias em que tudo nos incomoda; tudo fica chato, parece que nada dá certo, aquilo que tanto queremos parece estar cada vez mais distante de nós e nos sentimos cada vez mais angustiados… Foi num desses dias que o Senhor acalmou meu coração. Eu pedi a Ele um abraço e sem sair som algum da minha boca Ele sabia que eu estava gritando por SOCORRO!!!

Ah, como Deus é maravilhoso, um verdadeiro Pai. Desesperada e sem saber o que fazer, clamando, clamando e clamando por uma resposta de Deus eu resolvi parar para ouvi-Lo. Eu precisava ficar em silêncio para ouvir mais a voz de Deus. Então me calei!

Deixa eu te fazer uma perguntinha. Você, amigo leitor, ama a Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento? 

Deus me surpreendeu ao me fazer essa pergunta e eu respondi: “AMO SENHOR!” E ele fez comigo exatamente como fez com Pedro, perguntou mais umas duas vezes. Eu entendi que partes do meu ser ainda não estavam completamente entregues a Ele; eu estava ansiosa e isso demonstrava que eu não confiava nEle.

Sinceramente? Senti muita vergonha, isso queria dizer que eu não estava amando o meu Deus com todo o meu coração, às vezes eu estava amando-O apenas com um pedaço do meu coração; eu não estava amando-O com toda a minha alma, parte dela ainda pertencia às minhas próprias vontades; e o meu pensamento? Ixiii… Esse estava completamente dividido, logo, eu não estava amando ao meu Deus, da maneira correta.
Dizer: “Deus, eu te amo!” É muito fácil, mas e viver esse amor? Eu nunca pensei que seria questionada dessa forma por Deus, na minha pobre mente isso nunca passou. Mas é assim, somos vasos nas mãos do grande Oleiro, então, Ele nos quebra e nos faz de novo.
Bom, eu te perguntei se você ama a Deus dessa forma porque quero compartilhar com você o que eu aprendi com isso. Podemos? Vamos então passo a passo. Primeiro, eu busquei entender o que significava o que Jesus nos disse em Mateus 22:37.

  • Amar a Deus de TODO o coração

É “simplesmente” louvar, adorar, glorificar, exaltar somente a Deus. Confiar somente nEle; obedecê-Lo. Resumindo, é se entregar por inteiro a Deus, ter o Pai como prioridade (primeiro lugar) e deixar que Ele conduza sua vida à Sua maneira. Quando você ama a Deus de todo o coração tudo o que estiver em harmonia com a vontade dEle permanece em seu coração, do contrário Ele mesmo vai trabalhando e ajeitando.

  • Amar a Deus de TODA a alma

Na alma estão os sentimentos, vontades, desejos e as emoções. Então, Jesus nos diz que devemos entregar TUDO isso a Deus; sentimentos, paixões, sonhos; enfim, tudo, tudo e tudo relacionado a essa área da vida, nós devemos confiar às mãos de Deus. Acredito que esse aqui foi/é o “calcanhar de Aquiles” de muitos. Digo isso, porque pra mim é a parte mais complicada.

Mas, eu tenho convicção de que Deus é perfeito em tudo o que Ele faz e projeta, e sei que é a minha carne que não confia nEle, ela que é desesperada e quer tudo para ontem. Minha parte é escolher a CARNE ou o ESPÍRITO SANTO. É claro que eu escolho o Espírito Santo e mais uma vez o Senhor me ensina, me mostra onde estou falhando e endireita meus caminhos.

  • Amar a Deus de TODO o pensamento

Hum… Esse aqui também pode estar sendo difícil para alguns. No que, ou em quem, você pensa durante a maior parte do seu dia? Muitas vezes nós estamos “viajando” em pensamentos e quando paramos para pensar no que estamos pensando (rsrs), percebemos que foi uma viagem inútil, pensamento vago e que não edifica. Será que todo o nosso pensamento está voltado para Deus?

Complicado né? Ser questionado assim sempre nos faz refletir. E isso é muito necessário para que entendamos mais algumas coisinhas.

Bom, conseguimos aprender na teoria o que é amar a Deus da forma que Jesus nos manda, sendo assim, precisamos colocar esse amor em prática. Aquilo que precisa ser reajustado pra que esse amor seja real, o próprio Espírito Santo nos ajudará – pela graça, amor e misericórdia de Deus –, basta pedirmos a Ele.

“Tá bom Tathi, estou acompanhando o raciocínio, mas o que isso tem a ver com o título? O que isso tem a ver com a espera?”

AAAh!!! T U D O!!! Você que está lendo esse texto está esperando por algo (tenho certeza disso! Do contrário, pode me mandar um email falando que não está). Então, em algum momento da espera você sentiu que JAMAIS alcançaria tal bênção, certo? Aí está o problema! Não sabemos nos comportar durante a espera, a verdade é que não sabemos o que fazer. Exatamente por isso precisei ouvir todas essas coisas de Deus.

Esperar é um verbo e verbo indica AÇÃO! A Bíblia nos diz que esperar no Senhor é caminhar, ou seja, não estamos parados. E não devemos estar parados!


Mas, digamos que esse amor já é uma realidade nas nossas vidas, nós já entregamos tudo aos pés do Senhor, e O deixamos na direção. Então, explicando o título desse texto, Paulo nos diz que:

E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o BEM daqueles que amam a Deus. (Romanos 8:28a)

Meu Deus!!! Como o Senhor é bom.
Deus me levou a esse texto e me mostrou que TODAS as coisas cooperariam para o meu bem, eu só precisava amá-Lo, deixando o controle da minha vida em Suas mãos. A espera é essencial! Precisamos amar a Deus com tudo o que somos/temos e as coisas que acontecem durante o tempo da espera é para o nosso bem.

Ter fé é assinar uma folha em branco e deixar com que Deus escreva sua história.

Muitas vezes não vamos entender o porquê de certas coisas estarem acontecendo, mas temos que crer no agir de Deus sempre! Com o tempo, vamos entendendo aos poucos. O que vem dEle é MUITO MELHOR do que o que vem das nossas próprias mãos.

Guarde seu coração, sua alma e seu pensamento no Senhor, então tudo ocorrerá para o seu bem, até mesmo situações – aparentemente – ruins.

Ahh!! E eu quero te lembrar de mais um detalhe, não se esqueça disso nunca, principalmente durante a espera:

 Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. (Eclesiastes 3:1)

Não atropele os planos de Deus; saiba esperar o seu momento, saiba esperar a sua vez e nunca perca a fé. Jamais deixe de acreditar que o que Deus tem para você é melhor do que o que você mesmo almeja; porque o que vem de Deus é ETERNO. Ame ao Senhor com todo o seu ser, entregue-se inteiramente a Ele, você vai descobrir que a espera é um momento especial entre você e Deus.

Que Deus te abençõe muito!!!
Com carinho,

Ele(a) não é como eu pensava…

     Um dia, o atraente soldado John Blanchard foi à biblioteca para ler um livro. John ficou impressionado ao ler umas anontações feitas nas margens de um livro que folheava. Descobriu um nome na capa do livro: Harlyss Maynell – Nova Iorque. De alguma forma, John tinha certeza de que havia sido ela quem escrevera nas margens do livro.

     Então, ele fez algo ainda mais doido e impulsivo, ele ligou para ela! Procurou o seu nome na lista telefônica de Nova Iorque e perguntou-lhe se poderiam começar a se corresponder. Harlyss concordou em corresponder-se com ele, mesmo sabendo que ele estava indo para a guerra, na Europa. Começaram a se corresponder, e logo John ficou apaixonado por Harlyss…. (mesmo nunca a tendo conhecido!) Ele conhecia apenas o que ela havia escrito nas cartas e nas margens do livro. Entretanto, estava apaixonado!

     John escreveu à Harlyss pedindo-lhe uma foto, mas ela respondeu de forma bem categórica: “Não, não enviarei uma foto minha, porque os relacionamentos não devem ser baseados apenas nas aparências.” Mesmo assim ele continuou a ficar cada vez mais apaixonado por ela, mesmo sem nenhuma foto dela para colocar debaixo do travesseiro.

     Finalmente surgiu uma oportunidade para John conhecer pessoalmente Harlyss. Ele estava voltando para os Estados Unidos e escreveu a Harlyss propondo-lhe um encontro em algum lugar onde pudessem jantar. Ela respondeu-lhe que o encontraria na Estação Central de Nova Iorque, bem embaixo do grande relógio, disse ainda que ele a reconheceria pelo fato de que ela estaria com uma rosa vermelha na lapela.

     Então, o dia chegou, e John ficou debaixo do grande relógio esperando, esperando. Ele estava um pouquinho nervoso. Afinal de contas, aquele não era um primeiro encontro casual.


     Uma linda mulher, com um sorriso provocante, começou a andar em sua direção, fazendo com que ele a seguisse com o olhar. Por um breve momento, John pensou estar olhando para Harlyss. Ele nem podia acreditar na sua própria sorte! Ela não era apenas uma grande e talentosa escritora, ela era maravilhosa! Mas, aí, ele percebeu que ela não tinha uma rosa na lapela. E o seu coração se apertou em desgosto, enquanto ela passava por ele.

     De repente, viu uma mulher que tinha uma rosa vermelha na lapela. Ela estava em sua frente, sorrindo para ele. Ele quase desmaiou em desespero. Ela era uma senhora simples, baixinha e gordinha, mais velha que a própria mãe de John, de cabelos brancos caindo por debaixo de um chapéu surrado. Seus olhos brilharam quando olhou para ele. Ele olhou novamente para a jovem e linda mulher que desaparecia entre a multidão e sentiu-se dividido.

     Mas John Blanchard foi um herói. Ele não fugiu, ou passou despercebido, ou agiu rudemente. Na verdade, ele percebeu que, mesmo não podendo construir um relacionamento romântico com Harlyss, ele poderia mostrar gratidão àquela mulher que havia sido uma verdadeira amiga por meio de suas cartas. Então, ele sorriu (o mais que pôde) e disse àquela senhora gordinha:

     – Oi, a senhora deve ser Harlyss Maynell. Muito obrigado por ter vindo se encontrar comigo. Será que poderemos jantar juntos?

     A senhora ficou surpresa e disse:
    
     – Filho, não sei exatamente o que é que está acontecendo, mas sabe aquela jovem que passou por você agora mesmo? Ela me pediu para usar esta rosa e me disse que, se você me convidasse para jantar, ela o estaria esperando no grande restaurante do outro lado da rua, ela me disse que era um tipo de teste.


Texto retirado do livro: Romance à Maneira de Deus – Eric e Leslie Ludy.
(Versão Ludy da história de Max Lucado, contada em seu livro, The Angels Were Silent. É uma história verídica
.)


Que Deus te abençõe muito!!! Abracinhos.
Com carinho,